imagem

 

 

 

     

 

 

 

CRISTO: O PODER DA MOTIVAÇÃO – PARTE II

 

Por Ernesto Berg

 

 

Hábitos                                               

Muito do que temos, pensamos, ou fazemos hoje, são os resultados de comportamentos e atitudes que adotamos repetida e prolongadamente durante muitos anos, até tornarem-se hábitos. Passam, daí, a agregar-se a nossa natureza, e nos referimos então a esses comportamentos como parte integrante de nós mesmos. Nós e os hábitos passamos a ser um só.

Entretanto, é bom lembrar que eles não nasceram conosco, foram adicionados, acrescentados. Se forem bons hábitos seremos bem-sucedidos, mas se forem maus hábitos, poderemos atrair muitos problemas. Diz a sabedoria oriental: “Cultive um comportamento e terás um hábito; cultive um hábito e terás um resultado; cultive um resultado e decretarás a tua vida.” 

 

Logo, pensar com pessimismo, ou pensar com otimismo tornam-se hábitos, como quaisqueroutros. Então seja otimista!                                                                                                         

Ter medo de agir, ou ter coragem de agir, tornam-se hábitos como quaisquer outros. Então aja com coragem!

Fracassar continuamente, ou ter sucesso continuamente, tornam-se hábitos, como quaisquer outros. Logo, acredite no sucesso!

Não ter fé, ou ter fé, tornam-se hábitos como quaisquer outros. Então, tenha fé!                   

Ser infeliz, ou ser feliz, tornam-se hábitos como quaisquer outros. Então, seja feliz!          

Sorrir, ou não sorrir, tornam-se hábitos como quaisquer outros. Sorria!                    

Perseverar até o fim, ou desistir no meio do caminho, tornam-se hábitos como quaisquer outros. Persevere!               

Ser educado, ou ser mal-educado, tornam-se hábitos como quaisquer outros. Seja educado!

Perdoar, ou ser rancoroso, tornam-se hábitos como quaisquer outros. Perdoe! 

Ser comunicativo, ou afastar-se das pessoas, tornam-se hábitos como quaisquer outros. Seja comunicativo! 

Ser seguro, ou ser inseguro, tornam-se  hábitos como quaisquer outros. Seja seguro!   

Ser humilde, ou ser arrogante, tornam-se hábitos como quaisquer outros. Seja humilde! 

Viver a vida positivamente, ou reclamar da vida, tornam-se hábitos como quaisquer outros. Seja positivo! 

Querer aprender, ou negar-se a aprender, tornam-se hábitos como quaisquer outros. Queira aprender!

Crescer constantemente, ou estagnar, tornam-se hábitos como quaisquer outros. Cresça!

Ter amor em seu coração, ou ter ódio em seu coração, tornam-se  hábitos como quaisquer outros. Ame!  

Ser magnânimo, ou ser mesquinho, tornam-se hábitos como quaisquer outros. Seja magnânimo!                                                                                                                           

 Levar uma vida sadia, ou levar  uma vida desregrada, tornam-se hábitos como quaisquer outros. Tenha uma vida saudável!                                                                                        

Ter iniciativa, ou ser acomodado, tornam-se hábitos como quaisquer outros. Tenha iniciativa! 

Agir com sabedoria, ou agir com insensatez, tornam-se hábitos como quaisquer outros. Seja sábio!

Acreditar na má sorte, ou fazer a sorte acontecer, tornam-se hábitos como quaisquer outros. Trabalhe com fé!

Ser alegre, ou ser triste, tornam-se hábitos como quaisquer outros. Seja alegre!

Arranjar pretextos para os fracassos, ou procurar motivos para o sucesso, tornam-se hábitos como quaisquer outros. Persiga o sucesso!

Acreditar na vida, ou ser descrente de tudo, tornam-se hábitos como quaisquer outros. Confie em Deus! 

Ter uma vida próspera, ou uma vida de privação, tornam-se hábitos como quaisquer outros. Seja próspero!

Pensar pequeno, ou pensar grande, tornam-se hábitos como quaisquer outros. Pense grande!

Viver uma vida construtiva, ou viver criticando, tornam-se hábitos como quaisquer outros. Seja construtivo!  

Acreditar em seus  sonhos e ideais, ou não ter ideais e sonhos para acreditar, tornam-se hábitos como quaisquer outros.  Creia em seus sonhos e ideais!

 

Depende apenas de você começar e persistir  numa atitude (positiva ou negativa) até transformar-se em um hábito... como qualquer outro!

                                                                                                                                                Lembre-se, quando você escolhe um hábito, escolhe também as conseqüências desse hábito. (Extraído do livro Explosão de Idéias, de Ernesto Berg)

 

Cristo sabia muito bem que aquilo que pomos em nosso coração, é também, o que dele retiramos, por isso afirmou: “O homem bom tira boas coisas do seu bom tesouro, e o homem mau do mau tesouro tira coisas más.” Mateus 12.35

 

Já se perguntou  que tipo de tesouro tem cultivado? O que está colocando em sua mente? Com que raciocínios convive? Quem são as pessoas e situações que continuam alimentando esses raciocínios? Pergunte-se: O que posso e devo fazer para romper com os maus hábitos?

 

Jesus o conhecedor da alma humana afirma: “...porque da abundância do seu coração fala a boca.” Lucas 6.45.b Isto é, do que está cheio o seu coração e a sua mente, disso você irá falar o tempo todo. Então preste atenção nos assuntos sobre os quais conversa com as pessoas e saberá o recheio e conteúdo dos seus pensamentos. “Porque por tuas palavras serás justificado (absolvido) e por tuas palavras serás condenado (derrotado). Lucas 12.37.

                                                                                                                                                    

 

As palavras têm poder.

As palavras literalmente materializam coisas, pois expressam emoções, sentimentos, aspirações e desejos que, cedo ou tarde, acabam ocorrendo na nossa vida. Basta perseverar nas afirmações e acreditar nelas que elas acabam corporificando. É só uma questão de tempo.

 

“Mas eu não queria fracassar e por que então fracassei?” ouço muitas pessoas dizendo isso. “Eu não queria ficar desempregado, no entanto estou”, ou “Eu não queria separar-me do meu cônjuge, mas estou divorciado”, são outras queixas comuns.

Aqui, opera o afastamento: não queria fracassar, não queria ficar desempregado, não queria divorciar-se, mas aconteceu, porque certamente temiam que isso acontecesse e devem muitas vezes ter falado a respeito.

Essas pessoas estão sob o império do medo e da privação, e colhem seus frutos, porque estão motivadas pelo afastamento. Querem afastar-se dessas coisas, mas acabam atraindo-as cada vez mais.

“Porque o que eu temia me veio, e o que receava me aconteceu.” Jó 3.25

 

Há também os que afirmam “Hei de vencer”, Vou superar esse problema”, “Acredito na vitória” e, na maioria das vezes realmente triunfam, porque elas são  buscadoras de realização. Estão sob a égide de Deus.

“De uma mesma boca procede benção e maldição.” Tiago 3.10 Isto o é, a boca (a palavra) é capaz de provocar triunfos ou fracassos, construir ou destruir.

 

A Bíblia está repleta de afirmações de Deus. “E Deus disse: Haja luz. E houve luz.” Gênesis 1.3.

“E Deus disse: Façamos o homem à nossa imagem.”  Gênesis 1.26.

Em toda a Bíblia encontramos afirmações do tipo “Deus disse”, “Deus falou”, ”Veio a palavra de Deus”.

Ela não menciona que Deus pensou, Deus imaginou, Deus sentiu, mas que Deus afirmou. Os sentimentos, pensamentos, imaginações tem importância, mas nada é mais poderoso do que a palavra pronunciada. Jesus conhecia o poder da palavra por isso afirmou: “Qualquer que disser a este monte: Ergue-te e lança-te no mar, e  não duvidar em seu coração, mas crer que se fará aquilo que diz, tudo o que disser lhe será feito.” Marcos 11.23

Neste versículo o verbo dizer aparece por três vezes. É bom ficarmos atentos às nossas palavras, pois são sementes que germinarão obrigatoriamente no futuro.

 

Motivação por afastamento ou por aproximação?

“Porque todo o que é nascido de Deus vence o mundo; e esta é a vitória que vence o mundo: a nossa fé.” 1 João 5.4

Nascer em Deus é viver em seu reino e praticar a sua vontade (Palavra).

A fé de cada um é do tamanho de sua motivação, de sua coragem em agir e realizar. Ela vem de ouvir e acreditar na Palavra. (Romanos 10.17)

 

Existem dois tipos de motivação: por afastamento ou por aproximação.

 

O primeiro tipo, por afastamento, ocorre quando a motivação é negativa, em vez de positiva. Exemplo, o indivíduo que vai trabalhar, não porque gosta do serviço, mas porque precisa do dinheiro que o emprego propicia. Ele quer afastar as agruras do desemprego e da falta de dinheiro.

Outro exemplo, a pessoa que freqüenta a igreja por medo de ir para o inferno, e não porque ama a Deus. Ele quer afastar Satanás de sua vida, mas pouco faz para se aproximar de Jesus. Mais um exemplo, o indivíduo que se casa ou amasia não por amor, mas por medo da solidão ou de lhe faltarem recursos financeiros.

 

Nestes exemplos as pessoas estão tentando afastar-se do desemprego, da insegurança, do inferno, da solidão, da humilhação etc. e assim agarram-se ao que tem, ou pensam ter. Aqui não há felicidade apenas busca de algum tipo de preservação e segurança. São indivíduos

buscadores de segurança e de proteção. Infelizmente este tipo de motivação é o que predomina entre as pessoas. Elas são dotadas de ALCOMU, abreviação que significa ALto COeficiente de MUmificação. Não procuram, nem lutam por algo novo, apenas grudam-se ao que já possuem, ao que é velho, e vivem acomodadas numa caixa de fósforo.

 

O segundo tipo de motivação é por aproximação. Ocorre com as pessoas que perseguem seus ideais e sonhos, correm atrás daquilo que as faz crescer e desenvolver seu potencial espiritual, mental e físico. Elas se aproximam de coisas positivas e construtivas e não fogem dos desafios quando elas surgem.

São dotadas de ALCORE, isto é ALto COeficiente de REalização. São buscadoras de realização e de desafios, querem aprender e auxiliar sempre mais. São líderes e deixam sua marca por onde passam.

 

Os ALCOMU entram em campo para se defender e não perder. O empate para eles já está ótimo. Os ALCORE, entram em campo para ganhar e fazer a diferença.

Em qual tipo você se enquadra? Cristo joga no time dos ALCORE; aliás é o capitão da equipe, pois afirmou “Eu vim para que tenham vida, e a tenham com abundância.” João 10.10

Para ter abundância é preciso lutar, e não encolher-se.

 

Dize-me com quem andas...

Com que tipo de pessoas você tem andado? Quais são os ideais delas, seus objetivos de vida, suas missões? “Aves iguais voam à mesma altura”, diz o ditado. Já se perguntou com que tipo de aves você tem voado? São águias e condores, ou são sabiás, pombinhas, ou, mesmo, urubus (o que é pior ainda).

 

Brian Tracy, um dos cinco maiores consultores americanos em marketing, vendas e motivação, diz que você é exatamente igual aos seus três ou quatro amigos mais íntimos. Porque cada qual procura pessoas que são iguais a elas. Se esses amigos íntimos forem vencedores, positivos, atuantes, então você também é um vencedor.

Se esses amigos mais chegados forem do tipo “mais ou menos”, então você é igualzinho a eles.

Mas, se forem fracassados, negativos, vivem queixando-se, neste caso, você faz parte do time dos derrotados. Então faça agora a pergunta mágica: “De qual dos três times eu faço parte?”

Você sabe com certeza a resposta.

 

Mas a boa notícia é que podemos facilmente fazer parte do time dos vencedores. Paulo afirmou: “Posso tudo naquele (Cristo Jesus) que me fortalece.” Filipenses 4.13

 

“Cristo em vós, esperança da glória.” Colossences 1.27.b

 

“Em Cristo” é a expressão que Paulo usa com mais freqüência para designar o potencial da nova vida através do Messias. A verdade essencial é que Jesus chegou, e nele o domínio de Deus alterou as fronteiras que os limites e erros tinham impostos aos indivíduos.

 

“Mas em todas essas coisas somos mais do que vencedores, por aquele (Jesus) que nos amou.” Romanos 8.37. Paulo afirma claramente que os que andam com Cristo são mais do que vencedores, isto é, supervitoriosos, pois conquistam mais do que uma vitória comum. Não se trata de uma linguagem conceitual, mas de plena confiança em alcançar vitórias abundantes.

O que temos então que fazer? Andar com Cristo, pois é vitória certa em todas as circunstâncias. Por isso, é necessário incluí-lo em seu círculo de amizade mais íntimo, como o primeiro de todos.

 

Trecho extraído do livro O Maior Empreendedor do Mundo, de Ernesto Berg.

Reprodução autorizada desde que citada a autoria e a fonte.

 

PARA LER A PARTE I DO ARTIGO  CRISTO: O PODER DA MOTIVAÇÃO  CLIQUE AQUI

 

PARA LER A PARTE III DO ARTIGO  CRISTO: O PODER DA MOTIVAÇÃO  CLIQUE AQUI

 

PARA LER A PARTE IV DO ARTIGO  CRISTO: O PODER DA MOTIVAÇÃO  CLIQUE AQUI

 

 

 

 

 

a

 

 

imagem

 

 

imagem

 

imagem

 

imagem

 

imagem

 

imagem

 

imagem

 

imagem

 

imagem

 

imagem

imagem