imagem

 

 

 

     

 

 

 

JESUS, E O PODER DA COMUNICAÇÃO – PARTE II

 

3) Comunicação Suprapessoal

Trata-se da comunicação com Deus, o Ser Eterno.

Aqui novamente, Cristo dá exemplos repetidos em sua vida, da íntima comunhão que

mantinha com o Pai Celestial. Encontrava-se alinhado com Ele 24 horas por dia. O canal de

comunicação entre ambos era inteiramente desimpedido e desbloqueado, daí advém o

poder e a autoridade de Cristo. Era uma conexão tão íntima, a ponto de afirmar: “Eu e o Pai

somos um”. João 10.30.

 

Afirmação arrogante ou presunçosa? Certamente não, pois a sua vontade não estava

contaminada pelo ego, mas provinha de Deus: “Na verdade vos digo que o Filho (Jesus) por

si mesmo não pode fazer coisa alguma, se o não vir fazer ao Pai, porquanto tudo que ele faz,

o Filho o faz igualmente.” João 5.19. É o triunfo de Deus sobre o ego limitante do ser humano.

Como estabelecer esta comunicação? Cristo é essa comunicação mesma, o caminho.

 

A conexão é estabelecida, alavancada e fortalecida principalmente por três meios: a oração,

a meditação na palavra e o louvor.

 

Conexão 1 – Oração

A oração é o meio mais eficaz de conversar com Deus. É conversar como se conversa com

qualquer ser humano, simples assim. Não são necessárias fórmulas místicas e mirabolantes,

ou uma prolongada sessão de lamúrias, choros e lista de queixas, mas através do

reconhecimento e submissão de nossos pensamentos e ações à sabedoria divina, sabendo

- não apenas esperando - que haverá uma resposta positiva.

 

Está triste, abatido? Fale com Deus. Conte-lhe a sua situação. Está aborrecido, irritado?

Fale sobre isso com Deus. Sente-se injustiçado, enganado? Converse com o Pai. Está

abandonado, solitário, doente, desempregado, endividado? (a lista pode tornar-se imensa).

É hora de um bate –papo com o Senhor do Universo.

 

Conte-lhe das suas dificuldades e problemas, mas também de seus planos e aspirações.

Peça orientações específicas, e evite intermináveis repetições e queixas.

Sobretudo agradeça-lhe pela resposta solucionadora antes mesmo de recebê-la. Considere

a resposta como um fato consumado e a certeza de que ela virá, pois tem o selo de

garantia do Supremo: “Antes que clamem, eu responderei; estando eles falando eu os

ouvirei.” Isaías 65.24. A resposta positiva e eficaz sempre virá, cabe a nós estarmos atentos

a ela, reconhecê-la quando vier e agir conforme a orientação, sem titubear.

 

Vai viajar? Peça proteção, não apenas para você, mas  para todas as pessoas que partici-                                                                                                                                                                                                                                                                                    

parão da mesma, conhecendo-as ou não.

Vai alimentar-se? Agradeça ao Pai pelo alimento, e que ele abençoe, santifique e purifique

a refeição.

Vai a uma reunião importante?  Peça a benção divina para que seja um evento auspicioso,

positivo e favorável a todos.

Vai dormir? Agradeça ao Pai pelo dia e pela proteção que você e  seus familiares receberam.

 

A oração pode ser feita em qualquer lugar, momento, circunstância e, o que é melhor,

produz efeitos visíveis.

Li, certa vez, que o arcebispo da cidade de Boston afirmou: “Quando eu oro as coisas

acontecem. Quando eu não oro, as coisas não acontecem.” 

Ele certamente conhecia o poder e a força da oração em mover as circunstâncias e

situações a seu favor.

Então, o que temos a fazer, é canalizar  continuamente todo esse imenso poder espiritual 

em nossa vida diária, pois tudo o que não é praticado acaba se definhando.

 

Oração. Exemplo 1: o acidente

Harold Hill, um empresário e engenheiro industrial mecânico muito bem sucedido, narra em

seu excelente livro “Aprenda a Viver Como um Filho do Rei” (Editora Vida), que, em certa

ocasião, ele trafegava aceleradamente numa autoestrada quando, na pista oposta, vindo

em sentido contrário, um veículo desgovernado em alta velocidade, precipitou-se sobre ele.

Há poucos metros da inevitável colisão frontal, o outro veículo como que bateu em algum

obstáculo invisível e fez uma pirueta, passando por cima do seu automóvel, indo estatelar-se

mais atrás, sem que Hill e seu carro, sofressem qualquer arranhão.

                                                                                                                     

Ele conta que a sua primeira preocupação, após o sucedido, foi a de saber se os ocupantes

do outro automóvel passavam bem. Sentiu em seu coração, que além do carro danificado,

milagrosamente nada de grave havia ocorrido aos seus ocupantes, fato confirmado à noite

pelas notícias da TV a que ele assistiu sobre este acidente.

                                                                                                                                                    

Mas Hill ficou igualmente intrigado com outro fato, segundo menciona em seu livro, o da

proteção que o livrou do acidente, pois ele não tivera nem mesmo tempo suficiente para 

esboçar um pedido de proteção a Deus, diante da rapidez da ocorrência.

A resposta não tardou a vir em seu coração. Como sempre orava várias vezes ao dia,

em diversos lugares, momentos e circunstâncias – e muitas vezes essas orações eram

silenciosas, mentais, porquanto se encontrava em reuniões ou caminhando na rua – ele

tinha um crédito de proteção acumulado, uma espécie de  “a haver” cósmico que o cercava

e blindava contra situações imprevistas de grande perigo.

 

Ele virtualmente tinha uma couraça invisível de proteção, que foi exatamente onde o veículo acidentado trombou, fazendo-o capotar por cima. A Bíblia é explícita a esse respeito: “O anjo do Senhor acampa-se ao redor dos que O temem e os livra”. Salmos 34.7 É o poder da palavra em ação.

 

Oração. Exemplo 2: o garoto distraído

Há muitos anos fui ensinado a orar pelo ambiente – pessoas, instalações, animais, plantas, prédios etc. - em que eu entro ou saio, requisitando, por assim dizer, a presença e a proteção de Deus e seus anjos no lugar onde estou, vou estar, ou já estive.

Faço isso também em viagens, quando embarco num avião, num ônibus interestadual, ou num automóvel que vem me buscar no aeroporto para levar-me a outra cidade. Oro ao Pai para que, em nome de Jesus cerque tudo com a sua luz e proteção.

                                                                                                                                               

Cena I

Certa ocasião peguei um ônibus-leito na cidade de Chapecó com destino a Curitiba, cujo percurso é de 550 quilômetros, aproximadamente. Como não tinha mais vôos àquela hora da tarde, resolvi  vir de ônibus.

Eu havia dado um curso para gerentes de cooperativas daquela região catarinense e estava retornando à cidade onde moro. Como de hábito fiz a oração pedindo a proteção divina para o motorista, os passageiros, o ônibus, a estrada por onde ele trafegaria, para os pedestres que circulariam próximo ao ônibus em movimento etc.

 

Concluí a oração, mas então me sobreveio uma grande curiosidade. Talvez  seja curiosidade típica de consultor, mas resolvi perguntar ao Senhor: “Pai, há anos que eu oro pela proteção das pessoas e do ambiente onde estou, e de fato, as coisas sempre tem marchado muito bem. Mas até onde as minhas orações são eficazes, Pai? Até onde elas realmente influem? Não poderia ser obra do acaso?”

 

Não recebi resposta, embora Deus deva ter franzido a testa. Como eu estava viajando em  um ônibus-leito todos os passageiros, querendo descansar, como de hábito, acomodaram-se em suas largas e confortáveis poltronas e puxaram as cortinas das janelas, escurecendo  todo o ambiente. O único a não fechar a cortina fui eu; resolvi olhar a paisagem enquanto o ônibus trafegava pela estrada.

 

Ele fez uma parada na cidade vizinha, Xanxerê, onde embarcaram mais passageiros.  Na rodoviária local, ainda de cortina aberta, vi dois meninos brincando, um correndo atrás do outro, bem próximo ao nosso ônibus.  Quando o motorista deu partida ao veículo, um dos meninos, fugindo do outro, sem aperceber-se correu diretamente contra o ônibus já em movimento.

O chofer freou abruptamente, mas não houve tempo para mais nada; o garoto já tinha sumido embaixo do veículo.

Apavorado, o motorista foi socorrê-lo, em meio ao desespero das pessoas que presen-ciavam o ocorrido. Do meu ângulo visual na janela,  pude ver então o chofer  com a criança em seus braços, assustadíssima e chorando desbragadamente, mas viva e sem escoriações ou danos corporais, pois logo em seguida ela saiu andando, mesmo que atordoada e espantada.

 

Eu ainda não tinha me dado conta do que havia exatamente acontecido. Levei alguns minutos para montar o quebra-cabeça e entender que eu presenciei uma quase tragédia.

 

Nessa altura Deus entrou em cena e disse-me: “Você perguntou-me antes se suas orações surtiam algum efeito. Está satisfeito com a resposta? Quando as orações são sinceras eu mudo as circunstâncias. Você foi o único passageiro a presenciar o acontecido (realmente,  nenhum deles ficou sabendo do fato, mesmo depois) porque a resposta foi endereçada diretamente a você. Você quer continuar presenciando a todas as situações perigosas das quais eu te livro, para estar consciente delas?”

 

“Não, Senhor”, respondi-lhe. “Muito obrigado mesmo, não precisa ser mais tão explícito a esse respeito. Prefiro ficar na ignorância; para mim basta saber que a tua mão protetora está sempre operando.” 

“Ele (Deus) te cobrirá com suas penas, e debaixo das suas asas estarás seguro.” Salmos 91.4

 

Cena II

Mas a história ainda não acabou. O ônibus fez uma parada em União da Vitória, cidade que fica mais ou menos na metade do trajeto entre Chapecó e Curitiba, para que pudéssemos jantar.

No banheiro encontrei o chofer e lhe disse: “Presenciei tudo o que aconteceu em Xanxerê. Poderia ter ocorrido uma tragédia ali.”

 

“Que coisa espantosa”, respondeu ele. “Eu estava certo de que havia atropelado a criança. Ela simplesmente sumiu embaixo do ônibus. Quando fui pegá-la, o pneu estava praticamente encostado nela. Mais alguns centímetros eu teria passado por cima do menino. Foi um milagre. Só a intervenção divina impediu que acontecesse o pior. Agradeço muito a Deus por isso.”

 

Hoje, fazendo as contas e montando as peças de outros quebra-cabeças, sei com certeza, que eu mesmo escapei de acidentes que seriam fatais, inclusive, por duas vezes, de avião.

Mas o mais gostoso nisso tudo é que eu não fui o único beneficiado. Quando você  e  também outras pessoas oram com fervor e sinceridade, as demais, ao redor, são igualmente beneficiadas e protegidas, inclusive os familiares, parentes e amigos, contanto que a oração tenha sido endereçada a eles, também.

 

Oração atuante

Quero perguntar-lhe: Como andam suas orações? Com que freqüência acontecem? Uma

vez por dia?  Talvez uma vez por semana ou uma vez por mês? Quem sabe nem mesmo ore

acreditando ser perda de tempo ou crendice, porque você já tentou e não deu certo

 

Mas não orando regularmente, e da forma certa, as coisas não irão acontecer mesmo.

É preciso tornar isso um hábito constante, como respirar ou piscar, a ponto de  nem mais

se dar conta de que está orando ou louvando a Deus.

Costumo dizer, como consultor, que profissional competente, é aquele que trabalha, estuda

e aprende sempre algo de novo, ininterruptamente, e ele tem consciência de sua competência.

Entretanto, supercompetente, é o indivíduo que faz tudo o que competente realiza, entretanto

já incorporou as boas práticas empresariais de tal maneira, que executa as coisas quase

inconscientemente, porque já agregou essas aptidões à sua dimensão profissional sem se

dar conta disso. E onde ele põe as mãos tudo dá certo.

 

É esse o âmago da coisa no tocante a espiritualidade: ore e louve a Deus continuamente,

em todos os lugares e situações citando versículos bíblicos fortes como “O anjo do Senhor

acampa-se ao redor dos que O temem e os livra”. Salmos 34.7.

Outra, é “O senhor é o meu pastor; nada me faltará” Salmos 23.1

Também: “Posso tudo naquele que me fortalece (Jesus)”  Filipenses 4.13  e, “Maior é o que

está em mim (Jesus) do que o que está no mundo” 1 João 4.4b

 

Cite esses, e outros versículos, em voz alta ou mentalmente, enquanto dirige, participa de

alguma reunião, dá palestras, ou conversa com pessoas. Faça isso em paralelo, enquanto os trabalhos fluem.

Não se trata de mera ficção ou exercício intelectual. Trata-se manter conexão constante

com o Criador do Universo. Quer coisa melhor do que isso? Todos os que assim fazem, sem

exceção, acabam colhendo os frutos desse plantio, pois a qualidade de seus pensamentos

recebe um “plus” inimaginável. É o reino dos céus agindo em sua vida diária, aqui e agora.

Você estará abrindo um canal de comunicação 24h com a fonte da orientação, da paz,

do amor, da alegria, da realização, do poder.

 

Seus pensamentos demarcam seu território

Não sem razão o apóstolo Paulo disse:” Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro,

tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável,  tudo

o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai”.

Filipenses 4.8.

Seria isso apenas uma exortação de um ingênuo e bem intencionado apóstolo, dirigindo-se

a um grupo de pacatos cristãos? Certamente não.

Paulo sabia que a qualidade de nossos pensamentos e ações determina, em retorno,

a qualidade das vidas que levaremos. É a mais pura manifestação da lei de causa e efeito.

                                                                                                                                                 

Você atrai o que pensa. Temos que entender que pensamentos são coisas. Primeiro você

os tem, depois eles têm a você. É um ímã potente, e o pensamento que alimentamos

torna-se, depois,  nosso senhor, devidamente engordado, sustentado e nutrido por nossos

constantes pensamentos dominantes. A ciência afirma que a cada 7 segundos o pensa-mento afeta o corpo. Manter o mesmo pensamento por 17 segundos faz com que esse pensamento penetre no campo das emoções e gera o sentimento correspondente.

 

Pense em tragédia, e ela irá encontrá-lo, cedo ou tarde. Pense em doenças e você será

galardoado com uma boa moléstia. Pense em crise, desemprego, receios de toda natureza

e o terreno estará apto, não somente para receber a semente, como também fazer florescer

vigorosamente um viveiro de problemas, dificuldades e obstáculos cada vez maiores.

“O homem de más imaginações será aborrecido.” Provérbios 14.17b

 

Mas há uma outra alternativa muito melhor. Pense em Jesus e ele tomará conta de todas as

áreas de sua vida, penetrando todos os cantos da mente e da alma, com sua luz e vida.

“Falou-lhes, pois, Jesus, outra vez, dizendo: Eu sou a luz do mundo; quem me segue

não andará em trevas, mas terá a luz da vida. João 8.12

É a figura do líder dizendo: “Eu sou um bom exemplo para vocês seguirem; agindo assim

vocês também serão luz para o mundo.”

 

Trecho extraído do livro O Maior Empreendedor do Mundo, de Ernesto Berg.

Reprodução autorizada desde que citada a autoria e a fonte.

 

PARA LER A PARTE I DO ARTIGO JESUS, E O PODER DA COMUNICAÇÃO CLIQUE AQUI

 

PARA LER A PARTE III DO ARTIGO JESUS, E O PODER DA COMUNICAÇÃO CLIQUE AQUI

 

                                                                                                                                             

 

 

a

 

 

imagem

 

 

imagem

 

imagem

 

imagem

 

imagem

 

imagem

 

imagem

 

imagem

 

imagem

 

imagem

imagem